sábado, 13 de outubro de 2012

Especial Cinco Vias de São Tomás de Aquino - 4ª Via - A Via da Perfeição


Olá amigos leitores!

Hoje daremos continuidade ao nosso especial com a quarta via de prova da existência de Deus, de Santo Tomás de Aquino. Antes disso, acho importante refrescar a memória de vocês. Segue abaixo os links das postagens com as vias anteriores:


É altamente recomendável ler os três posts antes de iniciar a leitura deste.


Esta via tem como base, diz São Tomás, os graus que se encontram as coisas. Vamos aos textos e ao argumento:

"Encontramos, com efeito, nas coisas, algo mais ou menos bom, verdadeiro, nobre, e assim por diante. O 'mais' ou 'menos' é dito acerca dos diversos seres conforme se aproximam de forma diferente daquilo que é o máximo, como o mais quente é aquilo que se aproxima do quentíssimo."

São Tomás quis dizer, basicamente, com esse texto, que nós encontramos nas coisas um certo grau em relação à um grau máximo, isto é, nós classificamos as coisas em graus, como uma sendo mais ou menos do que a outra. Assim podemos dizer, por exemplo, que o vapor é mais quente do que a água, que é mais quente do que o gelo.

"Existe algo que é o verdadeiríssimo, ótimo, nobilíssimo e, por conseguinte, o ser máximo, pois as coisas que são verdadeiras ao máximo são os maiores seres, como é dito no livro II da Metafísica."

Aqui São Tomás diz que existe um grau máximo para cada uma das coisas citadas no trecho anterior. Esse seria o grau de perfeição. Isso será demonstrado de maneira mais clara com o exemplo a seguir.

É interessante notarmos que São Tomás faz menção ao livro Metafísica, de Aristóteles. Ao longo de sua obra, a Suma Teológica, São Tomás faz menção à Aristóteles diversas vezes, inclusive costuma tratá-lo como "O Filósofo". Nisso entendemos que o pensamento de São Tomás é fortemente influenciado por Aristóteles.

"O que é o máximo em algum gênero é causa de tudo o que é daquele gênero, como o fogo, que é o máximo do quente, é a causa de todos os quentes, como é dito no mesmo livro (Metafísica, de Aristóteles)."

Aqui fica tudo mais claro. O exemplo do fogo é muito esclarecedor. Como já diz o trecho citado, o máximo em algum gênero é a causa de tudo o que é daquele gênero. Então, o fogo é o máximo do gênero "quente", portanto, ele é a causa de todos os "quentes". Em outras palavras, o fogo é o perfeito quente, então ele é o grau máximo do qual os outros quentes podem se aproximar para serem qualificados como mais ou menos quente. Quanto mais próximo do grau máximo de quente, que é o fogo, mais quente se é.

"Logo, existe algo que é a causa da existência de todos os seres, e da bondade e de qualquer perfeição, e a este chamamos Deus."

São Tomás conclui o argumento de forma maravilhosa neste trecho. Agora vamos ao silogismo:

1- As coisas são classificadas em certo grau de qualidade;
2- Existe um máximo de qualidade (perfeição) para cada gênero;
3- Este máximo é a causa de todos os outros inferiores;
4- Logo, existe um Ser Perfeito que é causa de todos os outros menos perfeitos;

5- Este Ser chamamos de Deus.

Agradeço desde já a todos os leitores que têm apoiado esse especial. No próximo post vamos tratar da quinta e última via, a Via do Design Inteligente. Até a próxima pessoal!!

Todas as citações foram tiradas do livro de São Tomás de Aquino, Suma Teológica, livro 1, questão 2, artigo 3.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você também pode gostar de