sábado, 3 de novembro de 2012

Especial Cinco Vias de São Tomás de Aquino - 5ª Via - O Design Inteligente


Já visitou nossa página oficial no Facebook? Ainda não? Está esperando o que? Está bombando, com milhares de visualizações todos os dias! Não fique fora dessa!



Chegamos ao último post do especial das cinco vias. Fico muito feliz por ter a oportunidade de transmitir esse conhecimento a todos vocês. Acredito que nosso trabalho está sendo de bom proveito para vocês, caros leitores. As visualizações não param de aumentar mês a mês. Agradeço a cada um que contribui para o crescimento desse blog.

Mas vamos aos textos. São Tomás diz que essa via é baseada no governo das coisas.

"Vemos que as coisas que não têm inteligência, como, por exemplo, os corpos naturais, agem para uma finalidade, o que se mostra pelo fato de sempre ou frequentemente agirem da mesma forma, para conseguirem o máximo atingirem seu objetivo."

A premissa é simples e não exige muita explicação. Tudo o que não tem inteligência segue um padrão de comportamento, algo próximo a um hábito, assim podem atingir com mais presteza seus objetivos. Ficará mais claro no exemplo abaixo.

"As coisas, entretanto, que não têm inteligência só podem procurar um objetivo dirigidas por alguém que conhece e é inteligente, como a flecha dirigida pelo arqueiro."

A flecha é algo que não possui inteligência. Por isso ela é dirigida por um ser inteligente, o arqueiro, para que atinja seu objetivo, que é o alvo. Assim se forma uma ordem de governo das coisas. Aquilo que não é inteligente só atinge o objetivo para o qual foi criado por intermédio de um ser que possua inteligência em si, que conheça e seja inteligente o suficiente para dirigi-la.

É o princípio fundamental do Design Inteligente. Ao vermos uma imagem ou um quadro, por exemplo, logo concluímos que há inteligência por trás daquilo. Um quadro não se pinta sozinho. Alguém pinta o quadro. Somente um ser com inteligência pode criar algo que possua informação.

Outro exemplo disso são as gravuras em cavernas. Ao ver um desenho de um caçador com uma lança em mãos caçando sua presa na parede de uma caverna, logo o pesquisador conclui que aquilo foi feito por alguma tribo selvagem pré-histórica. Isso se dá porque o pesquisador, ao identificar a presença de informação no desenho, conclui de maneira lógica que aquilo só pode ser feito por algum ser inteligente, pois um ser não-inteligente é incapaz de produzir algo que possua informação.

A informação é algo proveniente da inteligência, do conhecimento, da razão e do saber. Ao vermos letras, gravuras, quadros, esculturas, programas de computador, objetos de aço, plastico ou vidro, enfim, qualquer coisa que possua informação em si, é inevitável concluirmos que aquilo provém de algum ser inteligente.

Vamos deixar isso mais claro ainda. Imagine-se caminhando numa praia, à beira do mar, quando você avista uma escultura de areia, rica em detalhes. A escultura é bela, bem definida em seus acabamentos. Com certeza, a primeira pergunta que passará pela sua cabeça será "quem foi que fez isso?". A escultura possui informação em si, não pode ter sido feita pelas ondas do mar ou pela erosão dos ventos. Alguém a fez.

O mesmo acontece se você ver um desenho na areia, por exemplo, um coração na beira do mar, com duas iniciais dentro. É vital concluir que aquilo foi desenhado por alguém, foi rabiscado na areia por um ser inteligente (e apaixonado). Não pode ter simplesmente "acontecido sozinho". Isso é o Design Inteligente. É claramente visível que a hipótese do Design Inteligente não é anti-científica, muito pelo contrário, é um tipo de julgamento recorrente, fazemos isso o tempo todo, até mesmo os ateus fazem isso.

"Logo, existe algum ser inteligente que ordena todas as coisas da natureza para seu correspondente objetivo: a este ser chamamos de Deus."

Argumento simples, porém fortíssimo. Vamos ao silogismo para facilitar nossa visualização e compreensão do argumento:

1- As coisas que não possuem inteligência agem sempre de uma mesma forma para atingir os objetivos para os quais existem;
2- Somente um ser que possua inteligência em si pode direcionar as coisas não inteligentes para seus objetivos;
3- Deve haver um Ser que coordene, governe e direcione todas as coisas para seus objetivos;

4- A este Ser chamamos de Deus.

É isso aí, galera! Chegamos ao final do nosso especial das cinco vias. Espero que tenha gerado bons frutos nos corações de vocês. Semana que vem farei um post reunindo todos os artigos de todas as cinco vias. Juntando tudo em um só lugar fica muito mais fácil de encontrar o que quisermos quanto precisarmos.

Desejo a todos um ótimo final de semana e que Deus os abençoe!

Todas as citações foram tiradas do livro de São Tomás de Aquino, Suma Teológica, livro 1, questão 2, artigo 3.

2 comentários:

  1. Olá.. muito obrigado pelo post.. grande abraço ... Pachêco®

    ResponderExcluir
  2. Muito bom , me ajudou muito

    ResponderExcluir

Você também pode gostar de