sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Ex-bbb xinga muito no Twitter

Boa noite, caros leitores. Estou aqui hoje para dar meu parecer a respeito das declarações do ex-bbb e "deputado" Jean Wyllys, feitas através de seu Twitter recentemente.

O ex-bbb fez diversos ataques pessoais ao Papa Bento XVI através da rede social, mencionando em todos eles o Twitter do Pontífice, criado recentemente. Entre os ataques, o ex-bbb disse que a Igreja apoiou a escravidão, o nazismo, entre outras coisas.

Vejam na imagem abaixo os tweets feitos pelo nosso "querido" ex-bbb. Sugiro que ampliem a imagem para ler com maior facilidade.


Primeiro, quero deixar claro porque motivo não chamo Jean Wyllys de deputado. Ele não foi um representante escolhido pelo povo, pelo menos não de maneira legítima. Sua quantidade de votos foi insignificante, mas ele foi eleito por meio do coeficiente eleitoral. Por essas e outras que eu sou contra o coeficiente eleitoral. Jean Wyllys não me representa e não representa a nação brasileira.

Não tenho intenção nenhuma de refutar as acusações feitas pelo ex-bbb em seus tweets, visto que tudo o que ele disse já foi refutado diversas vezes em diversos lugares. Basta um mínimo de estudo e de conhecimento histórico para saber que o que ele diz nos seus tweets não passam de mitos históricos inventados para caluniar a Igreja e o cristianismo.

A igreja jamais apoiou a escravidão ou o nazismo. Muito pelo contrário, a Igreja foi a primeira instituição a se manifestar contra isso tudo. Há cartas dos Papas da época que provam isso. Também encontramos declarações de pessoas de fora da Igreja que confirmam isso. Não vou me concentrar em responder às acusações dele, baseadas em ignorância histórica e ódio ao cristianismo.

A questão à qual quero me ater é a maneira como ele usa da imagem do Papa para promover a sua própria. Desde que o Papa adentrou ao universo das redes sociais, o ex-bbb tem destilado seu veneno de ódio e intolerância incessantemente contra os cristãos.

Em todos os tweets ele menciona o Pontífice, talvez numa esperança infantil de que o Papa possa ver o que ele diz. Quem dera se realmente fosse essa a intenção do ex-bbb.

É fácil perceber que o ex-bbb quer somente se promover às custas do Papa. Mas ele não quer se promover para que o Papa veja, mas para que a comunidade LGBTWXYZ (e quantas mais letras quiser) veja. Ao criticar a Igreja e atacar o cristianismo dessa maneira ele espera que seus companheiros de ideologia o vejam como uma pessoa que tem coragem de enfrentar tudo e todos pela causa, inclusive o mais importante líder religioso do mundo, o Sumo Pontífice.

Bem, enquanto Jean Wyllys demonstra sua total ignorância histórica e exibe sua falta de conhecimento, eu não me canso de rir. Infelizmente não posso deixar passar em branco tamanha estupidez. Tive de comentar sobre isso. Me senti quase que obrigado.

O fato que mais me incomoda é algumas pessoas levam à sério as bobagens que esse cara diz. Estou cansado de ver esse ex-bbb metido a intelectualzinho de esquerda manifestar seu ódio contra os cristãos escondido sob uma propaganda de "luta pela tolerância". No fundo, todos esses militantes da ideologia gayzista são idênticos aos militantes neo-ateístas e anti-religiosos. Fazem uma falsa propaganda de si mesmos dizendo lutar pela liberdade, pela tolerância, pela igualdade, etc. Mas perseguem os cristãos ao ponto de criar até leis que cerceariam sua liberdade de expressão. Engraçado isso, não acham?

Lutam pela liberdade tirando a liberdade dos outros. Exigem tolerância sendo intolerantes. Há uma contradição claramente visível nisso tudo. Vale tudo em nome da causa, até mesmo ofender o Santo Padre e caluniar a Igreja.

Tenho que me conter, afinal qualquer coisa que se diz contra esses caras é motivo para te chamarem de intolerante, preconceituoso, nazista, fascista, homofóbico e muitos outros adjetivos. Eu mesmo já fui ameaçado de ser processado por um desses militantes. Todos vocês sabem que sou muito educado em meus textos. Meu objetivo não é ofender ninguém, e sim defender a Verdade.

No mais, queria dizer que é do meu profundo desejo que esse esquerdopata desapareça da Câmara Federal o quanto antes. Repito: ele não me representa e não representa o Brasil. Se não fosse pelo maldito coeficiente eleitoral, Jean Wyllys (e muitos outros) não seria eleito deputado.

Sinceramente, não sei o que esse ser está fazendo em Brasília. Por mim, ele poderia voltar para o esgoto de onde veio, o Big Brother.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você também pode gostar de