quinta-feira, 18 de abril de 2013

A Apropriação da Ciência pelo Neo-ateísmo


Nos últimos meses tenho me engajado em discussões de caráter socio-político, basicamente construindo críticas sobre o marxismo cultural e as ideologias de minorias oprimidas que o apoiam. Já faz um bom tempo que não posto uma refutação ou uma crítica ao neo-ateísmo. Decidi voltar aos velhos tempos do blog e refutar, como de costume, uma imagem carinhosamente escolhida dentre milhares que encontramos em páginas neo-ateístas.

A bola da vez é Morgan Freeman. Na verdade, só usaram a imagem dele, que aliás já fez papel de Deus em um filme famoso. Deixando essa curiosidade de lado, vamos nos focar no que diz a imagem, que foi encontrada numa página neo-ateísta do Facebook chamada "Em Nome do Troll".

Diz a imagem:

"Eu não preciso do seu Deus, mas você precisa da minha ciência."

O mal do Cientificismo

Os neo-ateístas, como eu já disse em outras postagens, foram contaminados com uma espécie de ideologia chamada cientificismo. O cientificismo nada mais é do que o endeusamento da ciência. A ciência passa a ser o "Deus", e nada é mais importante do que ela.

Sempre que se tira Deus da história, alguém assume seu lugar. No caso das ditaduras comunistas, o Estado tomou o lugar de Deus. Hoje, em meio a uma sociedade humanista e secularista, o homem toma o lugar de Deus. O cientificismo põe no lugar de Deus a ciência. Os cientificistas apenas trocam Deus pela ciência, ou ao menos pelo que eles acham que é a ciência.

O cientificismo é uma ideologia fanática e muito perigosa. Um neo-ateísta provavelmente não entenderia isso, pois, para ele, o conceito de fanatismo é um espantalho que ele recebeu de alguém (ou que ele mesmo criou). Para eles, fanatismo é acreditar em Deus sem questionar. Aos que pensam assim, indico o post Fé, Fanatismo e Fundamentalismo para corrigir os conceitos sobre tais termos. 

Ateísmo não tem nada a ver com ciência

Ateísmo e ciência são coisas diferentes. Um não implica o outro. No entanto, os neo-ateístas agem como se a ciência fosse propriedade do ateísmo, como se fosse algo que somente eles possuem, e nós não. Ou você é ateu e amigo da ciência, ou você é um fanático religioso fundamentalista que acredita em Deus, fadas, duendes e fantasmas.

Esse pensamento dualista sobre fé e ciência é muitíssimo ultrapassado. Só o ateísmo militante mesmo para resgatar um pensamento tão antiquado e milhares de vezes refutado. E o pior de tudo é que ainda há quem dê crédito a isso, como se fosse realmente um pensamento válido. Como eu já me cansei de dizer, o neo-ateísmo não passa de uma maneira de reciclar argumentos refutados há séculos, e apresentá-los de uma forma diferente, como se fosse algo novo. De novo o neo-ateísmo não tem nada, apesar do nome.

Não há contradição alguma entre fé e ciência. Isso tudo se trata de uma falsa dicotomia, um falso dilema. Nada impede um cientista de acreditar em Deus e viver sua fé. Poderíamos citar inúmeros exemplos de cientistas teístas que colaboraram fortemente para o progresso científico.

O que deve ficar claro aos neo-ateístas é que a ciência não é propriedade exclusiva do ateísmo, nunca foi e nunca será. Aliás, o ateísmo está muito mais próximo da filosofia do que da ciência. O ateísmo é, na verdade, uma cosmovisão, uma posição filosófica. Isto quer dizer que o motivo que faz uma pessoa se tornar ateísta (ou ao menos o motivo que deveria torná-la ateísta) é uma convicção de caráter filosófico, e não científico. Basicamente, a ciência tem pouco ou nada a dizer sobre Deus. Aliás, não só sobre Deus, mas sobre qualquer questão metafísica.

Então a ciência pode provar que Deus não existe? Não, e nem que Ele existe. Essa é uma discussão de caráter metafísico, filosófico. A ciência não tem nada a acrescentar nesse caso.

Ciência não é tudo

Outra coisa que deve ficar bem clara é que existe vida fora da ciência. Ciência não é tudo, nem é a única maneira de se adquirir conhecimento. Existem outras formas de se adquirir conhecimento além da ciência. Os neo-ateístas tratam a ciência como a oitava maravilha do mundo e acabam dando a ela um lugar indevido.

Não quero, de maneira alguma, desmerecer ou menosprezar a importância da ciência. O que quero dizer é que há outras coisas. O mundo não é só ciência e a ciência não é tão importante assim quanto pensam.

A Religião está muito mais próxima da ciência do que o ateísmo

Sem dúvida, a religião está muito mais próxima da ciência do que o neo-ateísmo cientificista. Muitos progressos científicos se deram com a direta ação de grupos religiosos e cientistas teístas como Galileu, Pascal e Newton, para não citar muitos.

Alem disso, eu gostaria de perguntar para os moderadores e donos da comunidade Em Nome do Troll (e aqui também posso incluir a ATEA e outros grupos neo-ateístas) quantos prêmios científicos eles possuem. Só para nível de curiosidade, a Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano, que é foi a primeira Academia de Ciências do mundo, fundada no início do século XVII, possui 24 prêmios Nobel. É a Academia que mais possui prêmios Nobel no mundo todo.

O mais engraçado de tudo é que os neo-ateístas vivem falando que acreditam somente nos fatos. Pois aí estão os fatos comprovando que a fé não é inimiga da ciência e que ciência não tem nada a ver com ateísmo, e ainda assim eles insistem em acreditar no que dizem os gurus da ATEA.

Deixemos nossos amigos neo-ateus com suas superstições e crendices. Temos coisas mais importantes a nos preocupar.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Viu gente pelada? "Azar" o seu!

São raros os momentos em que assisto televisão, principalmente jornais. Não há nada pior que a mídia televisiva brasileira. Ou talvez haja, a classe artística brasileira.

Hoje, por ironia do destino, estava sendo exibida uma reportagem na televisão que me chamou a atenção, coisa rara de acontecer. A reportagem tratava de um grupo de teatro que estava se exibindo publicamente em Curitiba. Até aí, nada de mais. A reportagem só chamou realmente minha atenção quando eu soube que eles tiravam a roupa ao final da apresentação, dentro de algumas circunstâncias.

Os atores atuam em público, fazendo com que a platéia participe da apresentação e de um jogo de cartas. Dependendo do resultado do jogo de cartas, os atores tiram a roupa no final da peça, caso contrário, não tiram.


A reportagem pode ser lida clicando aqui.

No entanto, não foi a questão da nudez que me chamou a atenção, e sim a declaração de um dos atores da peça intitulada "Azar" (ou "Hasard"):

"Eu me senti sem o direito de me expressar livremente"

Analisem com cuidado o que a atriz disse. Duas palavras me incomodaram muito na declaração dela: "direito" e "livremente". Quem é leitor assíduo do blog vai compreender o por que. Com relação à palavra "direito" leiam o post Esfera Pública e Esfera Privada.

É óbvio que temos o direito de nos expressarmos livremente, mas usar essas palavras tão tocantes sem um contexto claro pode fazer qualquer coisa ser permitida. Todos têm o direito de se expressar, isso é incontestável, mas o que a atriz entende por "expressar"? Ficar nua em público? Bom, aí a coisa muda de figura.

Meu problema não é com a nudez em si, eu também fico nu todos os dias, mas só na hora de tomar meu banho. O problema é com a nudez em público, o que é totalmente inaceitável!

Essas pessoas acham que liberdade é poder fazer o que querem, quando querem e onde querem. Ora, isso não é liberdade, isso é anarquia!

"Ah, mas a rua é pública, eu posso fazer o que eu quiser". É exatamente porque é público que você não pode fazer o que quiser. O que é público não pertence a você exclusivamente, mas a todos simultaneamente. Não é somente seu, mas é público.

Isso, por si só, já deveria impedir a pessoa de agir como quiser em locais públicos. Mas quem liga para moralidade hoje em dia, não é? Se é assim, então vamos apelar para a legalidade. Em local público isso não é só uma atitude indecente e imoral, também é criminosa. A advogada contratada pelo grupo desconhece isso. Mas vamos ensinar isso a ela:


Art. 233 do Código Penal - Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:

Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa.


Com relação a isso, a advogada replica que "não há essa intenção no grupo, a intenção é somente artística". Alguém aí pode me explicar o que raios essa advogada quis dizer com "intenção artística"? Ato obsceno é um crime, pombas!Agora eu quero ver ela provar ao Juiz o que é uma "intenção artística", legalmente falando. Vai ser bem difícil defender essa teoria, eu acredito.

Vamos fazer como Sócrates, e contestar essa teoria expondo-a ao ridículo. Quero dizer, expô-la ao além do ridículo, pois ridícula ela já é por si mesma.

"Intenção artística" agora pode ser uma justificativa válida para você cometer um crime, não é? Então vou sair matando meio mundo por aí com uma metralhadora AK 47 e dizer que é minha forma de expressão artística, e que "eu tenho o direito de me expressar livremente".

Qual é o problema de cometer um crimezinho hein? Não faz mal nenhum! É crime, mas de que importa o que está escrito no Código Penal, ninguém lê aquilo mesmo...

Será que ninguém consegue enxergar o quão ridículo é isso? Temos o direito de nos expressar, mas não temos o direito de ficar nus em público! Esse direito não nos é garantido na Constituição.

Daqui a pouco vão estar gritando e protestando, dizendo que o Brasil é uma país opressor, que não há liberdade aqui, que as pessoas não são livres para se expressar. É pelo mesmo motivo que as ativistas do FEMEN deveriam estar todas na cadeia. Agora, eu me pergunto, por que é que ainda não estão, se ato obsceno é crime?

Enfim, não sei porque fico tão indignado com isso. Uma população que aceita que telenovela seja considerado arte, qualquer coisa pode ser.

Fechem todas as lojas de roupas, meus amigos! Agora ninguém mais precisa delas!

Você também pode gostar de