quinta-feira, 4 de abril de 2013

Viu gente pelada? "Azar" o seu!

São raros os momentos em que assisto televisão, principalmente jornais. Não há nada pior que a mídia televisiva brasileira. Ou talvez haja, a classe artística brasileira.

Hoje, por ironia do destino, estava sendo exibida uma reportagem na televisão que me chamou a atenção, coisa rara de acontecer. A reportagem tratava de um grupo de teatro que estava se exibindo publicamente em Curitiba. Até aí, nada de mais. A reportagem só chamou realmente minha atenção quando eu soube que eles tiravam a roupa ao final da apresentação, dentro de algumas circunstâncias.

Os atores atuam em público, fazendo com que a platéia participe da apresentação e de um jogo de cartas. Dependendo do resultado do jogo de cartas, os atores tiram a roupa no final da peça, caso contrário, não tiram.


A reportagem pode ser lida clicando aqui.

No entanto, não foi a questão da nudez que me chamou a atenção, e sim a declaração de um dos atores da peça intitulada "Azar" (ou "Hasard"):

"Eu me senti sem o direito de me expressar livremente"

Analisem com cuidado o que a atriz disse. Duas palavras me incomodaram muito na declaração dela: "direito" e "livremente". Quem é leitor assíduo do blog vai compreender o por que. Com relação à palavra "direito" leiam o post Esfera Pública e Esfera Privada.

É óbvio que temos o direito de nos expressarmos livremente, mas usar essas palavras tão tocantes sem um contexto claro pode fazer qualquer coisa ser permitida. Todos têm o direito de se expressar, isso é incontestável, mas o que a atriz entende por "expressar"? Ficar nua em público? Bom, aí a coisa muda de figura.

Meu problema não é com a nudez em si, eu também fico nu todos os dias, mas só na hora de tomar meu banho. O problema é com a nudez em público, o que é totalmente inaceitável!

Essas pessoas acham que liberdade é poder fazer o que querem, quando querem e onde querem. Ora, isso não é liberdade, isso é anarquia!

"Ah, mas a rua é pública, eu posso fazer o que eu quiser". É exatamente porque é público que você não pode fazer o que quiser. O que é público não pertence a você exclusivamente, mas a todos simultaneamente. Não é somente seu, mas é público.

Isso, por si só, já deveria impedir a pessoa de agir como quiser em locais públicos. Mas quem liga para moralidade hoje em dia, não é? Se é assim, então vamos apelar para a legalidade. Em local público isso não é só uma atitude indecente e imoral, também é criminosa. A advogada contratada pelo grupo desconhece isso. Mas vamos ensinar isso a ela:


Art. 233 do Código Penal - Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:

Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa.


Com relação a isso, a advogada replica que "não há essa intenção no grupo, a intenção é somente artística". Alguém aí pode me explicar o que raios essa advogada quis dizer com "intenção artística"? Ato obsceno é um crime, pombas!Agora eu quero ver ela provar ao Juiz o que é uma "intenção artística", legalmente falando. Vai ser bem difícil defender essa teoria, eu acredito.

Vamos fazer como Sócrates, e contestar essa teoria expondo-a ao ridículo. Quero dizer, expô-la ao além do ridículo, pois ridícula ela já é por si mesma.

"Intenção artística" agora pode ser uma justificativa válida para você cometer um crime, não é? Então vou sair matando meio mundo por aí com uma metralhadora AK 47 e dizer que é minha forma de expressão artística, e que "eu tenho o direito de me expressar livremente".

Qual é o problema de cometer um crimezinho hein? Não faz mal nenhum! É crime, mas de que importa o que está escrito no Código Penal, ninguém lê aquilo mesmo...

Será que ninguém consegue enxergar o quão ridículo é isso? Temos o direito de nos expressar, mas não temos o direito de ficar nus em público! Esse direito não nos é garantido na Constituição.

Daqui a pouco vão estar gritando e protestando, dizendo que o Brasil é uma país opressor, que não há liberdade aqui, que as pessoas não são livres para se expressar. É pelo mesmo motivo que as ativistas do FEMEN deveriam estar todas na cadeia. Agora, eu me pergunto, por que é que ainda não estão, se ato obsceno é crime?

Enfim, não sei porque fico tão indignado com isso. Uma população que aceita que telenovela seja considerado arte, qualquer coisa pode ser.

Fechem todas as lojas de roupas, meus amigos! Agora ninguém mais precisa delas!

5 comentários:

  1. Você realmente acredita que a sociedade ja foi diferente. Talvez em meados da década de 50 tenhamos atingido o auge da dignidade, mas...logo recobramos nossa consciência animalesca/anarquista, e tenho por mim que agimos assim em ciclos periódicos, e voltamos ao patamar de "gados", onde todos agem em bando sem saber por que estão agindo, mas capazes de defender suas ações de modo ferrenho.
    Questionar é um luxo cada vez mais caro...e raro.
    Belo post, simples e conciso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário! Realmente, questionar nos dias de hoje é um luxo cada vez mais raro.

      Excluir
  2. Afinal, o que há de errado nos nossos corpos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se você gosta tanto de nudez publica porque não vai morar com índios la as regras são outras mas na sociedade em que você vive,ate por respeito as outras pessoas tem que respeitar as regras

      Excluir
    2. "Afinal, o que há de errado nos nossos corpos?"
      Não é problema com o corpo, é que as pessoas não são obrigadas a verem outras pessoas NUAS. Da mesma forma não somos obrigados a ter que ficar ouvindo som alto do carro do vizinho... é crime!
      E pensar bem, né... as roupas não servem somente pra esconder o nosso corpo, mas também pra proteger (do frio por exemplo).

      Excluir

Você também pode gostar de